A Veneza romântica

Se há cidade que me surpreendeu foi Veneza, sem dúvida. Penso que é impossível ela desapontar-nos. Descobri-la a pé, sem mapa e vaguear pelas ruelas, pontes e canais, é a minha sugestão para sentir a verdadeira Veneza. Quando nos perdemos (que é inevitável) basta procurar as placas que vão estando espalhadas pela cidade que indicam a direcção da Piazza San Marco, Rialto e Piazzale Roma, e estamos safos.

Tive 4 dias para apreciar a cidade e as suas duas ilhas, Murano e Burano.
Após a chegada ao aeroporto o transporte para o centro pode ser realizado de barco ou autocarro e barco posteriormente.
Quanto à hospedagem fiquei num simpático hotel chamado Locanda Silva que fica junto à Praça de São Marcos. E é precisamente pela Piazza (Praça) San Marco (São Marcos) que se deve começar a desvendar esta cidade flutuante.
 
Esta Praça é absolutamente esmagadora, tem tanto para ver que eu não sabia por onde começar. Ela oferece-nos a Basílica de São Marcos, o Palácio Ducale, o Campanário e a Torre do Relógio.
 
Comecei esta visita pela Basílica de São Marcos, a entrada é gratuita no entanto se quiseres visitar a Pala D’oro tem um custo de 2€, o Tesouro da Basílica 3€ e o museu 4€. Atenção que não é permitida a entrada com mochilas e quanto ao vestuário as pernas e ombros devem de estar tapados.
De seguida rumei para o Palácio Ducal. Este Palácio já serviu de residência aos duques de Veneza, de prisão e de sede de governo. É possível visitá-lo todos os dias das 9h ás 18h e tem um preço de 16€. Esta visita proporciona admirarmos os grandes salões, várias obras de arte, móveis, pinturas e ainda fazer o percurso da ponte dos suspiros, percorrendo o mesmo caminho que os condenados faziam em direcção à prisão, onde viam o mundo exterior pela última vez.
Depois destas visitas nada melhor que uma pausa para contemplar descontraidamente a Praça de São Marcos e a minha sugestão é que experimentes uma das várias gelatarias que existem, porque acredita que os gelados são realmente qualquer coisa.
 
Como já se sabe a particularidade de Veneza é o facto de esta ser uma cidade flutuante e como tal uma das principais atracções é o grande canal de Veneza. Este canal tem sensivelmente 4km de comprimento e é o maior dos 177 canais que abraçam a cidade. É através destes canais que toda a locomoção na cidade é realizada, desfilam Vaporettos (barco de transporte), táxis (barco), gôndolas, lanchas de polícias e ambulâncias. Para muitos turistas é obrigatório que o seu roteiro inclua um passeio de gôndola, que custa à volta de 80€ para duas pessoas (preço de 2014).
 
Se falo dos canais também não posso esquecer as pontes e a mais popular de Veneza é a Ponte de Rialto. Se tens a ideia de tirar uma bela foto nesta ponte aviso já que será quase uma missão impossível, porque como deves imaginar esta ponte está lotada. Nesta mesma zona, depois de atravessar a ponte visitei o mercado Rialto, que é um mercado local que vale a pena conhecer.
 
Como já referi o bom de Veneza é passear livremente, deixarmo-nos levar pelas ruas, pelas lojas e pelos mercados típicos, e foi precisamente o que fiz depois de visitar as principais atracções. Para além dos gelados escusado será dizer que não se pode deixar de provar as pizzas, todas as que comi foram maravilhosas e cada uma era melhor que a anterior. Uma curiosidade e uma boa vantagem é que o mercado de rua vende pizza às fatias e são muito mais baratas que os restaurantes.
 
Durante a minha estadia tive a sorte de assistir ao fenómeno acqua alta, que ocorre devido à subida das marés e inunda as partes mais baixas da cidade. A Praça de São Marcos estava coberta com plataformas de madeira mas desengane-se quem pensa que este fenómeno atrapalha de alguma maneira o funcionamento da cidade, pelo contrário, a cidade está muito bem preparada e este fenómeno é encarado com naturalidade. Esta subida de águas é mais frequente no outono e no inverno, mas neste caso ocorreu também em Abril.
 

Em breve vou descobrir as pérolas de Veneza – a Ilha de Burano e Murano, fica atento (a).

Boas Viagens!

You may also like

Leave a Reply